domingo, 12 de fevereiro de 2012


Vencendo o inimigo – Texto: Ap 12.7-11.
Introdução: Muitos cristãos são derrotados por desconhecerem o poder maravilhoso de Cristo, desistem da caminhada sem ao menos lutar! Mas em Apocalipse 12, vemos cristãos vencedores! São vencedores, porque descobriram como lutar contra o inimigo e quais as armas deveriam utilizar contra ele. Você quer saber como eles fizeram isso? Então vamos descobrir isso junto! Eis a seguir as armas da igreja de Cristo:
1) O poder do sangue de Cristo: “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do cordeiro”
Nunca devemos nos esquecer do poder que tem o sangue de Cristo derramado na cruz do calvário, porque através do seu sangue temos:
a) A expiação de nossas vidas e pecados. “Porque a vida da carne esta no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pela vossa alma, por quanto é o sangue que fará expiação em virtude da vida” (Lv 17.11).
b) O sangue de Cristo trará a reconciliação de todas as coisas. “e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus” (Cl 1.20).
c) O sangue de Cristo nos permite entrarmos com confiança na presença de Deus. “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus” (Hb 10.19).
 d) O sangue de Cristo nos justifica. “Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm 5.9).
2) O poder da pregação e do testemunho: “e por causa da palavra do testemunho que deram”
Um crente vitorioso deve conhecer as escrituras, não tendo vergonha de testemunhar sobre elas e sobre Jesus, pois muitos são os benefícios de termos o hábito de meditar nas Escrituras e dela testemunharmos, Eis alguns exemplos:
a) Apóstolo João. “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo” (Ap 1.3).
b) Paulo aconselhando a Timóteo. “Até a minha chegada, aplica-te a leitura, a exortação, ao ensino” (1 Tm 4.13).
c) Paulo dando o exemplo a Timóteo. “Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, bem como os livros, especialmente os pergaminhos” (2 Tm 4.13).
3) O poder de uma vida entregue ao altar de Cristo: “e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida”
Em meio às perseguições e ameaças de Satanás, os crentes do apocalipse não deixavam de testemunhar e amar ao seu mestre Jesus. E isso só foi possível porque eles tinham se entregado completamente ao Senhor, ou seja, eles viviam em total consagração a Deus. E como eles conseguiram isso? O que é uma total consagração a Deus? E como pode isso nos levar a desprezar a própria vida em prol da pregação do Evangelho? Eis a resposta:  
a) Não amar a própria vida, significa aborrecer a carne (Ex. prática constante de Jejuns)
b) Não amar a própria vida, significa colocar os interesses de Deus à cima dos nossos interesses.
c) Não amar a própria vida, significa estar disposto a morrer por Cristo: “Quanto a mim, estou sendo já oferecido por libação, e o tempo da minha partida é chegado. Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me esta guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda” (2 Tm 4.6-8).
Conclusão: O cristão não vence a Satanás com palavras e discursos, nem tampouco com cargos eclesiásticos ou tempo de fé, mas, sim com atitudes e posturas espirituais. Se quisermos ganhar essa guerra do inimigo de nossas almas, temos que nos posicionar no campo de batalha e avançar sobre as suas trincheiras deslocando-o dela! Se você quer ser um bom soldado de Cristo, eu quero orar por você!
Em Cristo.
Pr. Igor de Moura Cogoy 

Nenhum comentário: