terça-feira, 27 de setembro de 2011

Teologia
MINI TRATADO PRÓ-DICOTOMISTA
Muito é pregado nas igrejas, sobre Deus Pai, sobre Jesus, sobre o Espírito Santo, anjos, pecado e etc. Mas somente agora, com essa nova geração de pregadores é que o ser humano tem tido um lugar de privilégio nos púlpitos brasileiros. Não estou defendendo um evangelho antropocêntrico, não me entenda mal. Estou apenas afirmando que durante muitos anos, ou, até séculos, pouca atenção tinha sido dada ao ser humano, digo, a sua estrutura, enfim, a antropologia bíblica. Agora com esses novos pregadores isso esta mudando e em certo ponto até preocupa, pois com certeza muitos exageros virão por ai! Pensando nisso, venho através desse blog expor algo realmente bíblico sobre a composição ou estrutura do ser humano, no que que refere a teologia é claro. Com esse intuito, trago para os leitores desse blog, o que chamarei de pequeno tratado antropológico a favor do dicotomismo, ou seja, um pequeno tratado pró-dicotomismo. Espero que gostem e que comentem! 

1. Definição etimológica. [do gr. dicha, em dois+temnein, cortar] É a divisão de qualquer coisa em duas partes. Na teologia antropológica, é a corrente que defende estar a natureza humana constituída de duas partes distintas: matéria e espírito. 

2. Base Bíblica. Tanto a alma (hb. nephesh; gr. psyque) quanto o espírito (hb. ruah; gr. pneuma) são empregados na bíblia indistintamente para referir-se a mesma parte imaterial do ser humano. 
-É o espírito ou a alma que se perturba ou se abate no indivíduo (Gn 41.8; Sl 42.6). 
-Jesus teve sua alma perturbada, angustiada (Jo 12.27), mas em (Jo 13.21), diz seu espírito turbado, angustiado.
-E no céu, estarão os espíritos dos justos aperfeiçoados (Hb 12.27), ou as almas dos que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus (Ap 6.9). Vejam que na bíblia é uma coisa só, seu emprego dependeu apenas da preferencia do escritor, pois a bíblia ensina claramente que somo compostos de duas partes, ou seja, uma parte material (o corpo) e outra imaterial (espírito ou alma) e não três partes como querem os irmãos tricotomistas. 
-Na bíblia, as vezes a morte é descrita como a entrega da alma (Gn 35.18; 1 Rs 17.21) e em outras partes, como sendo a entrega do espírito (Sl 31.5; Lc 23.46; At 7.59). Como podemos observar, as duas palavras são usadas para descrever a mesma coisa! só que em uns versos, o autor escolheu a palavra alma e em outros o espírito. Podemos ainda observar o paralelismo em (Lc 1. 46,47). 

3. Dois elementos substanciais. O material e o imaterial. A bíblia apresenta o homem como um todo, porém podendo se distinguir nele um elemento material e outro imaterial. O elemento material, o corpo, veio do pó da terra e liga o homem, em sua natureza com a criação em geral. O elemento imaterial, o espírito, veio diretamente de Deus, representado no sopro divino e constitui a natureza espiritual do homem, assemelhando-o ao criador, sendo responsável por qualquer comunicação com Deus. 
Na junção desses dois elementos é que o homem tornou-se um ser vivente (Gn 2.7). Deste modo, o ser humano é visto na bíblia, normalmente como sendo constituído de dois elementos a saber: 
-Carne e espírito (1Co 5.5);
-Corpo e espírito (1Co 5.3; 7.34; Tg 2.26); 
-Pó e espírito (Ec 12.7); 
-Corpo e alma (Mt 10.28; 3Jo 2). 
Por tanto, na palavra de Deus, de um modo geral menciona-se apenas dois elementos na constituição do ser humano: Uma parte material = Corpo, carne, e Uma parte imaterial= que você pode chamar de alma ou espírito. 

4. Como explicar os textos tricotomistas de 1Ts 5.23; Hb 4.12 ?
Para interpreta-los devemos como em toda a teologia usarmos os princípios da hermenêutica bíblica.  Que nos ensina que todo o texto deve ser analisado juntamente com o seu contexto. 
Observe querido leitor, que nestes textos, o autor não esta falando da constituição do ser humano, mas ele esta usando uma linguagem exortativa, ele esta exortando seus leitores a fazer algo. O foco  do escritor bíblico ali é outro. Vamos ver? 
Em 1Ts 5.23, o apóstolo Paulo esta apelando para que os servos de Deus sejam plenamente santificados para a volta de Jesus! Ele usa então com enfase a santificação, ele não esta ensinando ou abordando a constituição do homem, apenas exortando aos crentes a serem plenamente santos porque Jesus logo voltaria. Para comparar, vejamos o texto de Mc 12. 30, onde há um exemplo semelhante de enfase para exortar a amarmos a Deus acima de tudo.  Observe que Jesus usa elementos como alma, coração, entendimento e forças para ilustrar esse amor. Jesus não estava ensinado sobre a constituição do homem, ele estava assim como Paulo fazendo um apelo e com enfase. 
Em Hb 4.12, A intenção do autor é bem semelhante, pois ele também usa uma enfase para ilustrar o poder da palavra de Deus, que poderia, se a caso existisse separar alma e espírito. Veja que no próprio contexto do capítulo, nada existe que comprove um estudo sobre o a constituição do homem, apenas nesse verso, que esta falando da poderosa palavra de Deus e não do ser humano. Ele a palavra é tão poderosa que pode sondar o íntimo de nosso coração e ao olharmos para ela, vermos o real estado de nosso ser espiritual, ou seja, o nosso eu interior.
 Conclusão:  É perigoso dar voz a onde a bíblia se cala, assim como é muito perigoso ensinar o que ela não ensina. Por tanto amigos, aceitemos o que ela tem nos dito e seremos abençoados. 
Espero que este estudo tenha tirado a dúvida de muitos irmãos em Cristo. 
Pr. Igor de Moura Cogoy 

Nenhum comentário: